//
você está lendo...
Imoveis

Imóveis recebem US$ 290 bilhões de investimento

Os investidores imobiliários globais voltaram à ativa em 2010. Com parte do fôlego recuperado, fundos de investimentos imobiliários, fundos de private equity, soberanos e fundos de pensão aumentaram de forma consistente sua atividade este ano- embora ainda longe dos níveis pré-crise.

Estudo da consultoria americana Jones Lang La Salle estima que os volumes globais de investimentos diretos em imóveis corporativos em 2010 fiquem entre US$ 280 e US$ 290 bilhões, um aumento de 35% a 40% sobre 2009. Em 2008, ano da crise financeira, o investimento total somou US$ 379 bilhões, dos quais 63% no primeiro semestre. Em 2007, esse número havia chegado a US$ 759 bilhões.

Este ano, a América Latina deve ter uma alta de cerca de 90% em comparação com 2009, atingindo cerca de US$ 90 bilhões. De acordo com o relatório, o Brasil é o destaque. “O Brasil continuará a solidificar sua posição de mercado emergente de investimento imobiliário preferido da região”, afirma o estudo. Apesar da oferta limitada, as vendas mais que triplicaram ao longo dos três primeiros trimestres de 2010. “Todavia, os investidores observarão as taxas de retorno muito atentamente porque o grande aumento do interesse dos investidores globais nesse mercado e sua limitada oferta disponível poderão incitar uma acentuada pressão de queda”, diz o relatório.

Apenas no terceiro trimestre deste ano, o Brasil recebeu US$ 1,2 bilhão de investimentos diretos, alta de 268% sobre os US$ 300 milhões investidos entre julho a setembro de 2009. O Brasil só perdeu para Cingapura, país que – na mesma comparação – teve alta de 510%. Nos Estados Unidos, onde essa fase, no ano passado, os efeitos da crise ainda eram muito fortes, o aumento foi de 51%. Outros emergentes, como Rússia e China, tiveram desempenho incomparável ao brasileiro, sendo, inclusive, negativo. Na Rússia, a queda foi de 25% e na China, de 45%.

Segundo a Jones Lang La Salle, de uma forma geral, faltam imóveis comerciais de alto padrão em todo o mundo e isso está freando o volume de investimentos. Como consequência, deve haver uma pressão maior sobre a taxa de retorno dos imóveis de alto padrão e uma negociação maior de imóveis de segunda linha. As cidades onde os preços dos aluguéis mais subiram foram Londres, Washington, Paris e Xangai.

(Daniela D”Ambrosio | Valor)

 

Anúncios

Sobre Hildete Vodopives

Hildete de Moraes Vodopives is founder of Brazil Global and of the Harvard Strategists. She is a member of the Brazilian Investment Analysts Association (APIMEC-Rio) where she served as Corporate Relations Director and later, on the board. Hildete advises companies doing business in Brazil.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: